Estamos abertos! Confira nossas medidas de segurança

Não precisamos nos preocupar tanto em sermos produtivos.

Seu guia para habilidades sensíveis.


por Grazielle Alves

Não é sobre não ser produtivo, mas sim sobre um novo olhar para o funcionamento das habilidades produtivas de trabalho – reflexão que a chegada da pandemia (e o seu impacto em diversas dimensões) trouxe.

“Uma nova pesquisa sugere que os líderes, ao desenvolverem algumas habilidades específicas, podem criar um ambiente de trabalho mais seguro e de melhor performance.” Talvez seja algo mais no sentido de focar em habilidades para que, por consequência, a produtividade chegue.

Investir em programas de aprendizagem focados em algumas habilidades e comportamentos terão chances de desenvolver não só comportamentos positivos de liderança favoráveis à segurança psicológica, mas também uma melhor performance da equipe.

Algumas habilidades enfatizadas nos programas de desenvolvimento são:

  • Capacidade de manter diálogo aberto;
  • Consciência cultural;
  • Formação de relações sociais entre a equipe – fomento da comunidade;
  • Humildade situacional;
  • Entre outros.

A modificação dos comportamentos de liderança em um sistema complexo nos níveis do indivíduo, da equipe e da empresa começa com a definição de uma estratégia clara alinhada com os objetivos e princípios da organização e aos recursos necessários para realizá-los.

A soma do aprendizado formal com o desenvolvimento dessas skills funcionam como uma alavanca no contexto do trabalho real. As jornadas de aprendizado mais bem-sucedidas são responsáveis pelo conhecimento adquirido no trabalho e nas interações da rotina cotidiana.

Por isso, batemos tanto na tecla do tal do “alinhamento da teoria com a prática” e em colocar atenção para estimular a inserção de novas práticas no dia-a-dia.

De acordo com o relatório da McKinsey Global Institute, a quantidade de tempo que os trabalhadores gastam fazendo uso de habilidades cognitivas básicas poderá diminuir 3,4 pontos percentuais, enquanto o tempo gasto no uso de habilidades sociais e emocionais aumentará 3,2 pontos percentuais.

O que podemos concluir é que, durante muitos anos em nossa história, trabalhamos para adquirir conhecimentos básicos essenciais, mas não nos preocupamos em desenvolver habilidades para lidar com sabedoria com os dados e informações disponíveis em nosso sistema. As grandes crises econômicas, ambientais, sociais e emocionais estão aí para nos mostrar isso.

Hoje, começamos a enxergar essa nova percepção, do olhar sensível a todo um sistema influenciado por inúmeros stakeholders, para não só sermos produtivos e desenvolvermos soluções eficientes, mas também termos saúde para usufruir de tudo isso.

Por onde posso começar?

  1. Invista em se autoconhecer 

Criamos um Diário de Trabalho (clique aqui para ter acesso), que proporciona o desenvolvimento da atenção e da implementação de melhoria a partir da sua rotina diária.

O objetivo é, a partir da observação da sua própria conduta, ajustar, alinhar e inserir práticas que façam mais sentido para cada um.

O conhecimento adquirido sobre o que faz bem ou não somado a análise prática possibilita a construção de novos formatos e habilidades.

  1. Expanda o olhar para habilidades sensíveis

Investir tempo e recursos em habilidades sutis (comunicação, criatividade, inteligência emocional, gestão de pessoas e de tempo…) e inserir esse conhecimento aos poucos às práticas diárias, tanto no trabalho quanto na vida pessoal, já abrirá o olhar para novos caminhos.

Já vivenciamos uma semana de Soft Skills no Manifesto. Quer saber mais? Se inscreva na nossa news, ou entre em contato com a gente (comunidade@manifestocoworking.com).

  1. Entenda os fatos e dados de forma complexa

Nossa vida é influenciada por muitos fatores. Uma crise não é gerada por um único fator, assim como a sua produtividade (ou a falta dela) também não.

O diário do trabalho que mencionamos no item 1 pode dar início a essa visão macro dos coisas. 

A habilidade sensível de olhar para um determinado evento e compreender o que o influencia possibilita encontrar uma solução mais assertiva e efetiva.

  1. Compreender que somos pessoas

Pessoas possuem sentimentos, anseios, dores e são influenciadas pelo seu contexto cultural, social e econômico. Dar atenção às necessidades, ampliar as vozes e ter empatia são passos importantes para criar um ambiente seguro e produtivo.