Ana Paula Coelho (guest post)*

 

Ser dono de uma micro, pequena ou média empresa impõe inúmeros desafios para a vida de um empreendedor. O maior deles talvez seja ter que aprender muito, todos os dias. Como há orçamento limitado para a contratação de profissionais especialistas em todas as áreas que o negócio precisa, muitas vezes é o dono do negócio que precisa colocar a mão na massa.

A boa notícia é que a internet nos ensina o que precisamos saber, inclusive sobre como usá-la para divulgar sua marca e vender seus produtos e serviços. Mas como fazer um bom marketing digital? Aprendendo.

Esse artigo traz alguns dos principais temas sobre comunicação, marketing digital e mídias sociais. Você também pode querer fazer um curso de marketing digital e encurtar o caminho, para saber como aprender mais rápido o que você precisa. Se for seu caso, e você estiver em Brasília, aproveite o Curso de Marketing Digital para Produtores Locais no Manifesto Coworking!

 

Marketing Digital é muito mais do que Mídias Sociais

 

 

“Tudo é prego para quem só tem martelo”, dizia o sábio diretor de criação da última agência de publicidade em que trabalhei. Ele foi uma das melhores pessoas de se trabalhar junto, e entendia perfeitamente que a solução da moda é somente isso, uma moda. O Marketing Digital é amplo e cheio de ferramentas, e se te falam que só uma delas é a única ou melhor solução para todos os seus problemas, desconfie.

Para cada público e para cada negócio existe uma combinação diferente de ferramentas mais adequada, e só conhecendo profundamente seu negócio e seu público, e testando as possibilidades, é que você vai chegar no melhor conjunto de ferramentas para divulgar sua empresa para seus consumidores.

 

Sites, Landing pages, SEO

“Todo mundo precisa de um site”. Não sei vocês, mas esse anúncio do Youtube já me encheu a paciência. Apesar disso, ele tem sua verdade quando falamos de negócio. Seu site é a forma viva do seu negócio na internet. Não usamos mais listas telefônicas, não abrimos mais catálogos impressos, buscamos isso através de sites das empresas. E somente achamos esse site se ele estiver bem posicionado no Google: tem que aparecer em uma das três primeiras páginas de busca. Isso é o tal do SEO, ou Search Engine Optimization (Otimização para Sites de Busca). Existem várias técnicas para colocar seu site numa boa posição, mas a principal delas é fazer um site pensando no seu cliente, em como o site pode ser útil pra ele.

Se a principal forma de contato com sua empresa é o telefone, o que ele está fazendo em letras minúsculas no rodapé do site? Se seu cliente usa celular para fazer buscas na internet, porque seu site ainda não tem uma versão amigável para dispositivos móveis?

Pense em facilitar a vida do seu cliente que o Google será seu amigo. Além disso, faça páginas sobre os produtos super completas, com todas as informações num lugar só, sem que o cliente precise ficar clicando em vários links. Isso é uma boa Landing Page, ou página de destino, onde o cliente vai “aterrissar” através de buscas, posts, anúncios ou e-mail marketing.

 

Mídias Sociais

Acordamos todos os dias e a primeira coisa que fazemos é pegar o smartphone para acessar Whatsapp, Instagram, Facebook. As Mídias Sociais estão tão presentes na vida das pessoas que esquecemos que para fazer direito, precisamos aprender como elas funcionam, e isso é muito mais do que saber acessar o Facebook todos os dias.

Falar diretamente com seus consumidores e ouvir deles, saber fazer um conteúdo relevante, aprender a organizar um calendário de publicações e usar os recursos da ferramenta é o que difere páginas mortas, que as pessoas não interagem, de páginas que dão resultado pro negócio. Para mais de 50% dos brasileiros que usam Facebook, ele é a internet inteira. Assustador esse dado, não? Se você não entender como o algoritmo do Facebook funciona, você não sabe usá-lo para falar com seus clientes potenciais. Além disso o Facebook oferece segmentações milimétricas, como por exemplo, poder falar com as pessoas que ficaram noivas no último mês. Não há outro meio de comunicação que consiga segmentações de público tão precisas quando o Facebook.

 

Anúncios no Google e Facebook

A internet permitiu que pequenos negócios também sejam capazes de anunciar e chegar até seus consumidores, algo antes inviável nos meios de comunicação de massa. Enquanto apenas uma inserção (ou seja, o comercial é exibido uma vez) de 30 segundos de vídeo na Globo regional (apenas para cidades próximas) ultrapassa R$10.000 em horário nobre, Google e Facebook ficam extremamente felizes com R$100 de verba para uma semana de anúncios. Esse jogo mudou graças ao fenômeno de Cauda Longa, identificado por Chris Anderson: na internet a soma das vendas de itens de menor valor ou menor procura é igual à venda dos produtos de massa, ou hits. Em outras palavras: o Google e o Facebook ganham os mesmos 10k de vários pequenos anunciantes, enquanto a Globo vende somente um para os grandes.

Isso significa que na internet você que define a verba, e ela pode começar com tão pouco quanto R$5. O sistema de leilão de palavras-chave do google e a segmentação milimétrica do Facebook/instagram entregam resultados incríveis com pouca verba, se você sabe como usá-los.

 

E-mail marketing e inbound marketing

Aposto que todos os dias ao abrir seu e-mail, metade dos que você recebe você deleta sem ler. Os famosos SPAMs, ou e-mails não solicitados, banalizaram uma ferramenta poderosa que é o marketing direto. Mas há luz no fim do túnel: usando ferramentas profissionais de envio como o Mailchimp ou fazendo estratégias inteligentes de inbound marketing (ou marketing de conteúdo) você pode melhorar as taxas de entrega (para quantas pessoas da lista o e-mail chega), de abertura (quantas abrem o e-mail) e de conversão (quantas clicam no e-mail).

Cuidado com os modistas que dizem que o único marketing possível é o de conteúdo, isso não é verdade. Inbound Marketing é muito eficaz em compras business to business ou para produtos de compra complexa, mas muito caro para quem vende produtos de oportunidade ou baixo valor, como a maior parte dos e-commerces. Nesse caso, listas bem segmentadas e baseadas no comportamento do consumidor (usando cookies de navegação, por exemplo) são capazes de resultados melhores com custos menores.

 

Em resumo...

Em resumo: para fazer comunicação digital você precisa de muito menos dinheiro, mas mais conhecimento. Sem entender como o mundo do marketing digital funciona, você não é capaz de decidir onde é melhor investir seu suado dinheirinho de publicidade. Para investir certo, escolha primeiro aprender. A internet está aí também para te ensinar o que você precisa aprender sobre qualquer um desses temas. E se para começar você prefere fazer um curso presencial, estamos com o Curso de Marketing Digital para Produtores Locais em Brasília, no Manifesto Coworking nessa sexta-feira. Saiba mais e inscreva-se em: manifestocoworking.com/marketingdigital

 

Ana Paula Coelho é graduada em Publicidade e Propaganda com MBA em Gestão Empreendedora em Marketing Digital. Ela tem 14 anos de experiência em T.I e Comunicação, e já ensinou Marketing Digital durante dois anos na PUC Minas. No último ano, Ana Paula se dedicou a hackear seu próprio aprendizado através de um ano sabático de viagens, em que passou nove meses na Tailândia aprendendo yoga e trabalhando no marketing da escola, que tem toda sua estratégia de comunicação pautada em Growth Hacking – como criar mais exposição com menos dinheiro. É professora do Curso de Marketing Digital para Produtores Locais em BH, que já conta com seis edições, todas lotadas.  

Comment