Segundo dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), nos últimos quatorze anos, o número de empresárias subiu 34% no Brasil. Isso significa que mais de 7,9 milhões de mulheres abriram micro e pequenas empresas como forma de alcançar autonomia financeira.

O empreendedorismo feminino tem uma cara no país. De acordo com o levantamento do Sebrae, 40% das empresárias são jovens com menos de 34 anos. Elas estão em diversos setores de atividades, e aqui no Manifesto acompanhamos o aumento expressivo do número de mulheres residentes (e como vibramos com isso!).

No post desta semana, queremos mostrar para vocês algumas das nossas residentes que andam trilhando caminhos bem legais no empreendedorismo. Vamos lá?

 

Camila Luz.JPG

Camila Luz

Camila tem 30 anos e é empresária no ramo de cerimonial de casamentos e fotografia de família. "O Camila Luz - Cerimonial / Fotografia começou com um desejo meu de trabalhar profissionalmente com a fotografia, que era somente um hobbie, e oferecer aos demais as minhas qualidades de organização no trabalho de cerimonialista. Tudo foi crescendo em mim de forma muito natural e acho que por isso cresceu muito rápido e eu tive que me adaptar, abrir mesmo uma empresa, criar uma identidade visual e fazer ser "algo sério e verdadeiro", conta.

Esse é o primeiro negócio dela, que sempre soube que tinha uma veia empreendedora. "Sempre quis ser totalmente responsável pelo trabalho que exercia e que oferecia, organizar meus horários, fazer do meu jeito para o bem do outro", complementa.

Para Camila, empreender no Brasil é difícil sendo mulher ou homem, mas a sua experiência é de que, no seu ramo, as portas foram abertas com mais facilidade por ser mulher. "Não sei, a sensação que tenho é que somos mais confiáveis diante dos clientes, pelo menos nas áreas que eu trabalho as pessoas gostam bastante do fato deu ser mulher. Como cerimonialista de casamentos, acaba que tenho que agradar mais as noivas do que os noivos, então sendo mulher elas acabam se aproximando mais, conseguindo ser mais sinceras, tanto que muitas vezes acabamos virando amigas. Como fotógrafa, acredito que todo o romantismo, delicadeza e sensibilidade transmitida pela mulher também são um ponto positivo no momento de contratar alguém para registrar um momento importante da sua vida”.


 

Bruna Moreira.JPG

Bruna Moreira

Brasiliense, Bruna é linguista e tem 35 anos. É dona da Amora Consultoria Linguística, que trabalha com projetos que têm como ponto em comum a língua/linguagem. Oferece os serviços de tradução de livros e catálogos, legendagem de filme, edição de revista e revisão de todo tipo. Além disso, já escreveu para marcas, aplicativos e fez planejamento de identidade verbal de várias empresas.

Ela também está em seu primeiro negócio, que completou agora o primeiro ano. Para Bruna, uma das maiores vantagens de empreender é a autonomia, é estar à frente de todas as decisões. “É uma atividade que ensina muito também, diariamente, e eu gosto muito de aprender. As desvantagens que eu vejo são aquelas clássicas: a dificuldade de conciliar o trabalho com outras atividades”, explica.

Quanto a alguma situação de discriminação por ser mulher, ela disse que nunca passou por nada do tipo. Além da Amora, Bruna é professora supervisora na UAB/UnB (Universidade Aberta do Brasil/UnB), que oferece cursos de Licenciatura na modalidade educação a distância.

 

taynaah.jpg

Taynaah Reis

Taynaah é mineira e CEO da Moeda, uma plataforma de tecnologia que utiliza Blockchain para oferecer a cooperativas de produção em áreas rurais, crédito a juros baixos, taxas e assistência técnica personalizadas e transparência na prestação de contas e retorno financeiro e social a investidores.

Ela começou a empreender cedo, aos 12 anos, vendendo websites. "Tive mais de 7 empresas de tecnologia, games, big data, cidades inteligentes e agora a Moeda é meu maior sucesso com Blockchain", conta orgulhosa. A plataforma já foi tema de reportagens em veículos de grande imprensa como o DCI e, em outubro de 2017, a Forbes citou a Taynaah como uma dos 30 jovens inovadores para ficar de olho e também aprender com eles.

Para ela, as mulheres empreendedoras são sempre uma inspiração. “Uma mulher guerreira, determinada que não tem medo de trabalhar 24/7 e lutar pelos próprios sonhos”, descreve.

Quando perguntada sobre hobbies, Taynaah manda: “Trabalho mais de 12h por dia, tenho mais de 50 funcionários e contratados no Brasil, EUA e China. É bem difícil conciliar. Mas adoro cantar e fui bailarina clássica por 18 anos”.

 

Quer fazer parte desse time de residentes? Venha tomar um café e conhecer mais sobre o Manifesto. :)


 

Comment