As novas dinâmicas de trabalho promoveram mudanças significativas na vida de empreendedores e empregados. Entre as mudanças, está a possibilidade de uma empresa não ter uma sede própria, rompendo as barreiras físicas para empreender por meio de home office e coworking, por exemplo.

De acordo com a nossa experiência e pelo que escutamos de nossos residentes que vieram do home office, é preciso considerar algumas necessidades do profissional na hora de optar por uma das duas modalidades de trabalho.

Antes de escolher um dos modelos, é importante explicar do que tratam os dois termos. Enquanto o home office é a possibilidade de o profissional trabalhar da própria casa sem se deslocar para um escritório, o coworking  se baseia em um modelo de escritório compartilhado. A ideia, neste caso, é oferecer um espaço profissional com custos reduzidos.

Um dos objetivos do home office é minimizar ao máximo as despesas administrativas com escritório, como aluguel, transporte e refeição. Outros benefícios também podem ser somados, como eliminação do tempo de deslocamento aos trabalhos e a possibilidade de ficar mais à vontade.

Por outro lado, ao optar por este modelo, muitos profissionais esquecem a necessidade de organização e disciplina. A possibilidade de ficar mais relaxado pode fazer a pessoa produzir com melhor qualidade em alguns casos, mas, para outras, isso pode resultar na perda do foco e desorganização.

Além disso, é preciso considerar os outros custos que serão adicionados ao escolher o home office, já que deverão ser considerados gastos com materiais de escritório, energia e telefone, por exemplo. Outro ponto que deve ser levado em consideração é a necessidade de receber clientes para reuniões de negócio. Neste caso, a residência deverá contar com espaços totalmente adaptados (ou, nessas horas, entram os espaços de coworking que oferecem salas de reunião por hora).

A opção pelo coworking traz um custo um pouco maior, mas ainda bem menor que o aluguel de um escritório próprio. Em contrapartida, as vantagens para o profissional são muito grandes, já que o espaço permite mais foco durante os trabalhos.

Quem opta por espaços compartilhados também pode definir o local de forma estratégica para conseguir receber clientes mais facilmente. É importante que o coworking disponibilize áreas para reuniões. Espaços maiores, como um auditório, também aumentam as possibilidades de trabalho. É comum também que coworkings mais estruturados forneçam suportes de um escritório comum como recepcionistas com atendimento personalizado.

Existe também o benefício da estrutura que possibilita o crescimento do negócio, pois, se precisar contratar terá só a necessidade de aumentar os espaços locados. Coworkings também são ideais para construção do network, já que permitem o relacionamento entre profissionais e empresas de diversas áreas, abrindo espaço para outras opções de negócios.

Não existe uma única resposta sobre a comparação entre home office e coworking. Nosso intuito não é demonizar o home office, mas esclarecer os benefícios que o coworking tem em relação ao trabalho em casa. Além disso, a definição do modelo ideal dependerá da necessidade do profissional e, acima de tudo, da sua capacidade de manter a produtividade nestes modelos alternativos.

Conte conosco para tirar mais dúvidas! E você é nosso convidado para conhecer o nosso espaço e passar um dia aqui com a gente! :-)

Comment